30 de agosto de 2011

Glee - 2ª temporada


Glee é o meu calcanhar de Aquiles. Por mais que tenha defeitos, continuarei gostando desta deliciosa série musical. O ambiente escolar, as canções pop, os conflitos adolescentes, o arrivismo, a busca por sucesso e popularidade e o medo quase crônico de ser um loser ou perdedor. O primeiro ano ressaltou bem estes temas e os mesmos seguem fortes na segunda temporada, que também ganha o adicional de um assunto polêmico e tão frequente nas escolas: o bulliyng. Além disso, temos aqueles velhos clichês sobre aceitar você mesmo como se é, que a música Born This Way, da Lady Gaga ilustrou tão obviamente e acabou sendo tema de um dos episódios. Claro que Glee consegue fazer mágica até com as canções esquecidas da música pop e aqueles sucessos que não são nenhuma unanimidade crítica. Mas a mistura do clássico com o contemporâneo musical rendeu bons frutos e divertidos episódios.


O roteiro continua sendo seu principal problema (por mais que os personagens estejam mais desenvolvidos, afinal não é preciso introduzi-los ao grande público, somente progredir com cada uma de suas trajetórias na trama), alguns conflitos foram mal elaborados e resolvidos (dando-se a impressão de pressa mesmo em finalizá-los para poder se encaixarem dentro do tema/música de algum outro episódio). As cirandas amorosas entre as personagens confundiram um pouco e aconteceram e terminaram rápidas demais: Finn (Cory Monteith) larga Rachel (Lea Michele), volta para Quinn (Dianna Agron) e depois termina com esta para reconciliar-se com Rachel. Quinn começa o namorar o novo integrante do coral, Sam (Chord Overstreet), o trai com Finn almejando tornar-se Rainha do Baile. Sam fica com Santana (Naya Rivera), e esta para disfarçar seus sentimentos por Brittany (Heather Morris), mantém um namoro de fachada com David Karofsky (Max Adler). Tina (Jenna Ushkowitz) larga Artie (Kevin McHale) para ficar com Mike (Harry Shum Jr.). Enquanto Artie começa a namorar Brittany, que também nutre sentimentos por Santana. Os únicos estáveis são Puck (Mark Salling), que se apaixona perdidamente por Lauren Zizes (Ashley Fink), uma gordinha cheia de atitude, e Mercedes (Amber Riley), que passa a temporada toda sozinha, mas no final fica com Sam. Além disso, temos o romance entre Will Schuester e Emma (Jayma Mays), que não se resolveu completamente, o professor de espanhol que separou-se da esposa na temporada passada, fica com Emma, mas esta começa um namoro com um charmoso dentista que acaba com um casamento nunca consumado em Las Vegas e um previsto divórcio.


Chris Colfer acaba sendo o principal destaque desta temporada, seu Kurt sofre com o preconceito de ser gay, a repressão de David Karofsky (que revela-se um homossexual enrustido), com o pai que teve um infarto, trocou de escola e do coral depois de ter sido ameaçado e conheceu Blaine (Darren Kriss), principal cantor de um coral do outro colégio e gay assumido e amor não correspondido do jovem estudante.


Destaque também para as homenagens ao musical cult Rock Horror Show e ao disco Rumours do Fleetwood Mac, ao episódio dedicado à Britney Spears (desde aí, a personagem Brittany teve grande visibilidade nos episódios seguintes com suas tiradas burras, inocentes e engraçadas) e à participação especial de Gwyneth Paltrow (com quem Will terá um breve envolvimento), que foi muito bem-vinda e deu mais movimentação à série e à nova treinadora do time de futebol americano da escola, Beiste (Dot Jones), que também sofre com o preconceito dos alunos com seu jeito masculinizado.
Ok, o New Directions não ficou entre os finalistas, mas foi para as competições com canções inéditas, uma delas muito boa (Get it right, cantada pela Rachel). De resto, elogios para a qualidade vocal dos atores (principalmente Lea Michele e Amber Riley, que continuam sendo as melhores cantoras de todo o grupo).
Agora é esperar pela terceira temporada que será a última para muitos personagens, novas participações acontecerão (muitas delas oriundas dos atores selecionados pelo reality show The Glee Project) e, esperamos, grandes emoções e, quiçá, a primeira vitória do New Directions nos concursos entre corais.

Um comentário:

  1. Oi Wesly
    Teu espaço é muito bom.
    Lhe seguindo aqui. Me visite, ficarei feliz.

    Grande abraço. Dan

    ResponderExcluir