18 de setembro de 2011

Au au au...



Na próxima encarnação quero nascer cachorro de madame ou, no mínimo, de alguém da classe média. O que mais me surpreende hoje em dia é o extremo cuidado que as pessoas tem com seus pets. Nunca as clínicas veterinárias lucraram tanto no tratamento com os cachorros quanto hoje em dia, mais parecem salões de beleza. Os cães tem tantas regalias, são tratados como filhos, vestem roupinhas e se tornam mais patéticos que suas donas e donos que os levam em caminhadas para contribuir com a sujeira de fezes nas calçadas e ruas.
Os cachorros não tem culpa, é claro. São vítimas de uma estranha esquizofrenia de seus donos que confundem valores, carência, atribuindo aos seus animais de estimação, características dos quais não possuem. Enquanto os cães dormem em casas mais luxuosas que a nossa, ganham festas, escovas e banhos especiais para deixar seus pêlos sedosos e brilhosos, alimentação saudável e equilibrada e um monte de outras coisas, mendigos vivem ao relento. Às vezes sentimos mais pena de um cãozinho trêmulo do que uma criança pedinte nas ruas perigosas da cidade.
Entendemos que os cachorros nos desperta a simpatia e nos enternece ao primeiro olhar, que eles são fiéis e estão ao nosso lado, sempre, aconteça o que acontecer. Talvez o vislumbre de uma ligeira humanização nestes seres, esclareça tamanha adoração e exagero no trato. Eles tem sentimentos, mas ainda são animais, com os instintos que lhe são próprios. Não podemos confundir as coisas, cães vivem em conforto enquanto pessoas morrem de fome todo dia, o que é um absurdo e uma injustiça. Também um desrespeito aos próprios animais que devem viver plenamente os seus instintos e não serem condicionados a agirem como humanos, o que entendo como uma espécie de tortura para esses bichos.
Aposto que se tivessem como falar o que pensam, os cães gritariam: “odeio roupas, odeio secadores, só quero viver tranquilamente me chafurdando na lama, correndo nos quintais, comendo minha comida de vez em quando ou procurando por um bom osso e me surpreender e me excitar com uma cadela linda. Sou apenas um cão, não um humano. Depois eu que ajo como um animal irracional...”.
Se continuarmos assim, acredito que os cães se revoltarão e uma insurreição possa começar. Quem sabe os eles evoluam tanto quanto os macacos do clássico Planeta dos Macacos e vão dominar o mundo, tornar os humanos escravos? Afinal, se são tratados como iguais a nós, podem pensar da mesma forma que estes, às vezes até mais que muitos.

Um comentário:

  1. Já vejo meu cão, após minha tentativa de colocá-lo para dentro, sussurrando ao meu ouvindo:"Totó está em casa!"

    Muita paz!

    ResponderExcluir