30 de outubro de 2011

Falta do que dizer


É recorrente em nossas vidas a falta de assunto. De repente aquela conversa calorosa sobre determinada coisa ganha um silêncio de morte gerando constrangimento. Você caça as mais diferentes questões para abordar com o seu interlocutor e nenhuma parece apropriada. A conversação não precisa acontecer com algum estranho. Até mesmo a amizade com seu melhor amigo ou colega de trabalho está ameaçada por este mal.
O tempo é o primeiro tema no qual recorremos para salvar o bate-papo de um retumbante fracasso. Pode-se falar de uma causo da família que, no entanto, gera um interesse unilateral, de quem apenas conta a história. O outro vai acenar um acordo com a cabeça ou murmurar alguns “ahãs” sem convicções para demonstrar que aquele assunto não o está deixando sonolento. Até mesmo uma doença que o acomete de vez em quando acaba sendo levada à pauta de uma conversa, situação que envereda pelos detalhes mais grotescos, com a precisão de um especialista em qualquer patologia.
Um outro sinal é a forma como o interlocutor responde as perguntas, se são monossílabos mude imediatamente para qualquer outro assunto ou restrinja-se ao seu próprio silêncio. Por vezes, se não há mesmo o que conversar o mais indicado é ficar quietinho. Afinal quem precisa ficar horas integrais conversando com outro, quem disse que precisa ser assim? A falta do que falar denota muitas vezes, a vontade da outra pessoa em não conversar com quem quer e sobre o que quer que seja, talvez ela apenas não esteja afim, por inúmeros fatores, não é você o problema. Quem nunca implorou para não encontrar alguém conhecido durante o seu trajeto, pois preferia ficar quieto? Ficar somente com você e o seu mau humor de despertador berrando de manhã cedo, como eu quase todos os dias.
Tudo bem, vocês podem me acusar de também não ter nada a dizer até então, afinal somente a falta de assunto pode gerar um post de mesma temática. Confesso que estão certos, então retomarei o silêncio, que aqui neste blog fica representado pela falta de posts nos próximos dias, até que uma próxima notícia ou tema venha me inspirar a escrever qualquer outra coisa.

3 comentários:

  1. Sobre a nossa falta de assunto, eu não tenho nada a declarar!(RSRSRS)

    A falta de tema a ser abordado, meu caro amigo, ao meu ver, resulta muita das vezes,em faraônicas gafes que se seguem por aqueles que insistem em iniciar um assunto e manter um papo que já terminou...

    Muita Paz!

    ResponderExcluir
  2. Bom texto!Fez-me lembrar, a propósito, um pensamento antigo que chama a atenção para a certificação da amizade entre duas pessoas: amigos reais conseguem passar horas lado a lado sem dizer coisa alguma!!Sem ter o que falar!!!

    Muita paz!!!!

    ResponderExcluir
  3. Wesley
    Excelente texto. Sempre noto essa "falta de assunto" quando no elevador do prédio que moro. Quando o outro passageiro é um pouco mais que simples conhecido, quase não há constrangimento de calar ou falar, mas quando se trata de um conhecido de "olá, bom dia!", daí a coisa pega. Fica aquele silêncio pesado, os dois olhando para o teto ou para o placar dos números, sem jeito... Gostei do teu blogue, JAIR.

    ResponderExcluir