1 de janeiro de 2012

Primeiro post de 2012


Pronto. 2012 já começou e o relógio segue firme na sua tarefa de fazer avançar o tempo rumo ao seu final. Piscaremos o olho e refletiremos: “Nossa, como passou rápido este ano, não é?”. Estaremos envolvidos por frases de auto ajuda, pela preguiça de por os planos em prática, teimaremos na perpetuação de nossos defeitos e manias. Ou seja, continuaremos os mesmos assim como os dias que se seguem.
Alguma tragédia natural vai abalar o Brasil e o mundo, a morte de um artista esquecido vai gerar saudade, nós mesmos ficaremos diante de algum acontecimento particular que nos marcará e muito e que não será divulgado em nenhum jornal ou programa de TV. Quiçá a perda de um ente querido, quiçá um novo amor, quiçá a promoção no emprego ou a demissão inesperada ou desejada. A lua continuará encantando com as mesmas fases de sempre e a chuva vai estragar algum feriado prolongado ou causar inúmeros prejuízos, além de nos aliviar do calor.
A vida permanece imprevisível ao contrário dos dias que obedecem ao mesmo fluxo. Perderemos as melhores chances, as idéias mais geniais fugirão de nossas cabeças e você se verá longe daqueles de que mais gosta ou se perceberá não tão interessado por aqueles que mantem um contato aproximado. E os colegas do antigo trabalho sentirão sua falta e poderão até torná-lo assunto de alguma roda de conversa, no entanto ninguém se motivará a ligar para você. Você reencontrará velhos conhecidos, fingirá que não reconhece alguns, conversará com outros animadamente e esse bate-papo lhe acenderá alguma nostalgia, talvez até esta amizade, outrora brasa quase apagada debaixo de tanta cinza, se verá novamente em chamas e renovada.
Tantas coisas acontecerão que não estaremos tão atentos para perceber essas mudanças e isto causará a impressão de que nada transformou-se, de que a rotina é a nossa condenação, condenação que na verdade foi feita por nossa própria escolha. E se não quisermos virar estátua de sal como a mulher de Ló, com o apego ao passado ou arrependidos do que deixamos para trás, devemos abrir os olhos mais uma vez ao nosso redor, em busca de mais alguma oportunidade, quem sabe tenha restado mais alguma até o mês de dezembro?
            2012 está aí e não nos resta mais nada além de gozar os seus 366 dias na medida do possível.

Um comentário:

  1. Tudo realmente é novo e exatamente igual ao que relizamos anteriormente!

    Muita PaZ!

    P.S.: Bem lembrado, 2012 é múltiplo de 4, por isso é bissexto!

    ResponderExcluir