4 de março de 2014

Na Estante 14 - O Filho da Mãe (Bernardo Carvalho)


Livro: O filho da mãe
Autor: Bernardo Carvalho
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2009
Páginas: 208


Foi o primeiro livro de Bernardo Carvalho que eu li e posso dizer que não foi uma boa experiência logo de início. Os problemas com a leitura deste romance começaram pela exposição de uma quantidade grande de personagens e seus nomes e sobrenomes russos, as idas e vindas no tempo que deixava tudo mais nebuloso na compreensão dos meandros de cada figura retratada nas páginas do livro, num texto mais focado na descrição. Mas se persistir na leitura, caso tenha a mesma dificuldade que eu encontrei, o leitor passará a ficar envolvido com algumas das subtramas exploradas por Carvalho e perceberá que aquilo que atrapalhou a fruição do livro é na verdade sua principal qualidade. A narrativa acontece em São Petersburgo (Rússia) e entrelaça o destino de diversos personagens ao tema principal: a figura das mães em tempos de guerra. O amor entre dois rapazes, a luta de uma avó para deixar o neto longe dos conflitos da Rússia com a Tchetchênia, a mãe que havia abandonado o marido e o filho e muitos anos depois reencontra o primogênito são algumas das estórias. O horror da guerra e as feridas que ela causa, o sentimento de não pertencimento a uma pátria, a sensação de ser estrangeiro sempre, independente de onde você está, com quem você fala são alguns dos sentimentos pelos quais as personagens passam na trama. “O Filho da Mãe” flerta com a tragédia sem perder a ironia e foca sua literatura no que é mais importante: os relacionamentos humanos. Podem mudar os costumes, pode mudar a geografia (Brasil, Rússia, não importa), mas as relações interpessoais continuam as mesmas, universais em sua essência. O livro faz parte do projeto “Amores Expressos”, da Companhia das Letras em que alguns escritores foram convidados a contar e a investigar o amor em diversos lugares do mundo. Bernardo Carvalho muda o foco do amor romântico para o amor materno, e é bem sucedido nesta escolha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário