14 de março de 2014

O mistério do planeta


Um ponto luminoso no fim da madrugada. Eram 5h15 da manhã quando meu irmão chamou a minha atenção para um ponto luminoso no céu. Logo pensei: “Uma estrela”, no entanto não era. Ele recuava lentamente, meu irmão afirmara que o ponto estava mais próximo ainda minutos antes e a luminosidade mais forte. Poderia ser uma estrela, não fosse um acender ocasional de uma luz vermelha. Até onde eu sei nenhuma estrela emite um brilho avermelhado (perdoem-me a ignorância, caso esteja enganado). Avião ou helicóptero não eram. Além do silêncio não ser inerente a estes meios de transportes, eles não recuam, trafegam em linha reta de um ponto a outro. Seria um OVNI? Confesso que fitei com interesse o ponto luminoso, entre curioso e intrigado. Se fosse uma vida extraterrena, o que ela queria ali, no céu de uma vila de Ermelino Matarazzo? A quais experiências este objeto intencionava sobrevoando aquelas paragens periféricas? Quem seria abduzido?
Sou cético para muitas coisas, mas não duvido que exista vida inteligente fora do nosso planeta. Com tantas estrelas, planetas, satélites, galáxias, certamente deve haver algum lugar correspondente à nossa Terra, até mesmo mais evoluído que ela. O homem entraria em desconcerto diante de um alienígena, possivelmente se mataria, egoísta que é. Ao perceber que sua prepotência ingênua o fazia pensar que era o único ser provido de inteligência em um universo inteiro, que certamente contém outros universos paralelos em si.
E surge a curiosidade de como seriam ou como convivem estes seres: Será que fazem protestos por menos corrupção e mais educação e saúde em galáxias distantes? Será que são contra a Copa do Mundo? E temem uma invasão comunista em seus respectivos planetas? Os alienígenas também farão uma Marcha da Família com Deus pela Liberdade? Não sei. Só sei o que vi (juro que não tinha tomado nenhum alucinógeno). O resto é uma incógnita dificilmente respondível. Já escreveu o sempre atual William Shakespeare, na célebre tragédia Hamlet: “Existem mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia”. 

Um comentário:

  1. Eu acredito em vc! Digo, neles. É óbvio! E me parece que tem muito o que capturar por Ermelino Matarazzo ;) Abraços

    ResponderExcluir