23 de março de 2014

Recado aos participantes da Marcha da Família com Deus Pela Liberdade


Estamos em um mundo estranho e a sociedade cada vez mais supera-se em sua bizarrice. Pessoas saindo em manifestação solicitando o retorno dos militares, temendo uma invasão comunista. Esse povo algum dia leu um livro de história? Acredito que não, assim como também não leu muita coisa na vida (culpem os professores, eles não fazem nada e têm as melhores e propícias condições de trabalho!!!). Uma nova ditadura... Era o que faltava para solucionar todos os problemas e mazelas de nossa pátria amada, idolatrada, salve, salve. Peraí, mas os militares já governaram o nosso país por 20 anos... No dia 31 de março vai fazer 50 anos do Golpe de 1964 que depôs o presidente João Goulart e deu início ao período mais negro de nossa história.  Para você que pede a volta de novos Castelos Brancos, Costa e Silvas, Geisels, Médicis, Figueiredos, lembre-se que naquela época, sim, havia violência. Se você acha que não era porque eles usavam um recurso tão comum em qualquer ditadura: a censura. Com a censura nenhuma das notícias que denegriam a imagem dos governantes chegavam até nós e, se chegavam, vinham maquiadas. Havia uma repressão a quem quer que fosse contra os militares. Ou seja, se as manifestações atuais desencadeadas ano passado pelo aumento do preço da passagem acontecessem naqueles anos de chumbo, certamente os policiais desceriam o sarrafo na multidão que se levantava contra as autoridades e exigisse melhorias na educação e na saúde. Mas isto continua a mesma coisa. A polícia ainda age como um órgão opressor, com a mentalidade daquela época, daqueles tempos que os anos não trazem mais (No entanto esta gente deseja a volta dos que não foram). E ai de você ser preso por um desses polícias. Você seria um subversivo, mesmo que estivesse passeando por ali, por acaso. Sofreria sevícias e pesadas torturas, exigiriam-lhe nomes de camaradas, provavelmente você seria morto e jogado n’algum oceano. Seu corpo sequer seria encontrado. 
Provavelmente você não sabe que muitos dos órgãos e instituições que você tanto defende e prestigia deram suporte aos militares: bancos, emissoras de televisão, jornais impressos e muitos outros. Até uma conhecida nação da América do Norte, que tanto defende a democracia pelo mundo contribuiu para a nossa ditadura e a de nossos vizinhos latino-americanos, financiando os golpes com seu rico dinheirinho. Realmente a violência naquela época era menor, a quantidade de desaparecidos políticos, por exemplo, foi de algumas centenas de pessoas. Em países como a Argentina ou Chile, o número ultrapassou os milhares. Milhares de famílias que nunca mais viram seus pais, filhos, irmãos e amigos. Naquele período, até a música era melhor, os compositores utilizavam-se de metáforas e versos com significados subliminares apenas para exercitar seu estilo, não porque não podiam falar abertamente sobre aquilo o que os incomodavam. Tudo passava sob a chancela de censores, que analisavam o que era bom e ruim para o seu povo, interferiam no trabalho de escritores, jornalistas, músicos, cineastas, autores teatrais, entre tantos outros, limavam aquilo que consideravam uma afronta à moral e os bons costumes e fosse um elemento conscientizador da população. Fora as obras megalomaníacas (A Transnacional, por exemplo) e o apelo ao nosso bom e velho conhecido futebol numa Copa do Mundo para desviar as nossas atenções de tantas agruras e injustiças ("90 milhões em ação/ Pra frente, Brasil/Salve a Seleção!"). Mais do mesmo, não acham? Sim, era um mundo melhor para se viver. Anos mais tranquilos, enfim. Que suas preces sejam então atendidas, integrantes da reedição da Marcha da Família com Deus Pela Liberdade. Mesmo que no lugar da solidariedade aos seus desejos sobressaia uma vergonha alheia por grande parcela da população permanecer ainda tão alienada e equivocada... E burra...

Nenhum comentário:

Postar um comentário