18 de maio de 2015

Melancolia

melancolia que às vezes acomete
triste essência acobertada no ser
que corrói, daninha, ferrugem, maresia
mormaço que enregela, friagem que ferve
queimando órgãos, consumindo pensamentos
suscetível aos passamentos do tempo
às suas constantes intermitências

melancolia manifesta no subentendido
almejando a atenção, repelente ao solidário
porque nem todo olhar resolverá
porque nem toda palavra confortará
nem o mais letal veneno matará
permanecerá, mas não perecerá
aliada à invisível substância
que move o mundo e as coisas
vai assombrar, qual fantasma,

na casa abandonada dentro de nós.

Um comentário: