4 de maio de 2015

Na Estante 38: O Diário de Anne Frank


Livro: O diário de Anne Frank
Autor: Anne Frank
Editora: Bestbolso
Ano: 2007
Páginas: 378


Dos textos literários que abordam a Segunda Guerra Mundial, O Diário de Anne Frank ganhou um lugar especial entre seus leitores. Anne Frank tem 14 anos e refugia-se com sua família para um anexo secreto de um escritório quando a caçada aos judeus na Holanda aumentou. Anne narra com muita segurança e surpreendente sinceridade sobre o convívio com outra família também reclusa com eles (os Van Daan), a descoberta da sexualidade, a relação afetuosa com o pai, os conflitos com a irmã e os atritos com a mãe. O livro alterna momentos de tensão e preocupação com outros um tanto quanto entediantes (afinal foram dois anos escondidos, sem que pudessem sair para as ruas e fazer o mínimo de barulho possível para que ninguém os ouvisse e os denunciasse aos nazistas) e situações mais engraçadas. Ao final vale o olhar de uma adolescente sobre os acontecimentos históricos que tornaram a Segunda Guerra um dos eventos mais tristes e sangrentos do século passado, olhar não isento de esperança cuja realidade infelizmente conseguiu superar. Saber do destino de Anne e sua família (eles foram mandados para os campos de concentração, onde Anne morrera numa epidemia de tifo) torna seus escritos ainda mais angustiantes. Poder lê-los hoje em dia é ter contato com uma visão diversa das oficiais que transformou-se num símbolo da luta e resistência do povo judeu. Prova do quanto a escrita e a literatura pode ser um refúgio e alento aos indivíduos em períodos sombrios, recurso utilizado por Anne Frank que eternizou seu diário na história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário