30 de julho de 2015

Incendiário


    








estou cansado de me queimar
no fogo que arde sem se ver
é impossível enxergar
o tamanho do estrago
do tostar da minha alma em brasas
esta ferida eu sinto bem
é explícita a mim
como uma anomalia
atraindo olhares impressionados
pelo resultado da combustão
que me consumiu por completo
que me reduziu à cinzas
sem o direito de renascer
a partir delas
sem a possibilidade de reencarnar
no corpo de outrem incendiário

Um comentário:

  1. Taí! Uma boa chance para determinar o próprio fim; é também uma chance para determinar o fim do determinismo!

    ResponderExcluir