29 de setembro de 2015

Tristeza não tem fim...


Esta fixação humana pela felicidade plena. Numa existência a qual somos conscientes de que será finita, não há espaço para essa tal felicidade. Muitos podem argumentar que, como todos terão um fim comum, mais um motivo para perseguir esse intento emocional. Todos querem ser felizes. Por esse motivo, a grande maioria se frustra rapidamente cada vez que a vida e seus desígnios colocam cada vez mais pedras no caminho. Rochosas, pontiagudas, para extrair a dor necessária do aprender viver.
Vimos surgir nestas últimas décadas uma geração propensa a frustração, egoísta, que não sabe escutar uma negativa ou não entendem o que é convivência, que supre seus desenganos com ostentação material, fazendo das redes sociais uma plataforma de sua vida perfeita, divertida, feliz. Nosso grande poeta Vinícius de Moraes já alertara: “Tristeza não tem fim, felicidade, sim”. Estar acostumados à dor, ao tédio, ao não, à tristeza, nos torna mais fortes e maleáveis quando estas situações tão comuns, tão ordinárias quanto o sorriso que irrompe natural em nosso rosto ou o choro que brota sem que consigamos represá-lo, acontecem. Já sabemos lidar com elas. Criamos um jogo de cintura, nos tornamos íntimos daquilo que nos aflige ou incomoda. E assim aprendemos a valorizar os momentos de alegria tão ínfimos, concedidos a conta-gotas por alguém além de nós. Se tornar-se feliz vira uma obsessão, a religião e outros vícios estão aí para suprir e, artificialmente, compensar aquilo que não temos.
Saúdo a tristeza por sabê-la inerente ao que chamamos de vida. Saúdo a melancolia, pois a existência é contraditória, basta olhar ao nosso redor. Celebro a solidão, pois somos um ponto em meio a um universo muito maior, insignificantes perante tanta grandeza. Viraremos pó, adubo, cinzas e, ninguém perguntará por nós no final.

Um comentário:

  1. Verdade foi dita.
    A tristeza é a única garantia. E como combatê-la sempre foi uma as principais investigações dos maiores filósofos que pisaram a terra.
    É é bem verdade que a tristeza quando não mata, nos faz mais fortes.

    Saudações.

    ResponderExcluir