29 de outubro de 2015

Protozoários


Desliguem os aparelhos, o Brasil morreu de falência cerebral e estupidez generalizada!!! Todos os esforços para demovê-lo de uma nostalgia pelas coisas normais como a escravidão, a submissão feminina, a prisão homossexual em armários blindados, a truculência justificada da ditadura militar, a delimitação explícita entre pobres e ricos ou fazê-lo enxergar além do ódio a um único partido foram em vão. Estamos no século XXI apenas na aparência, nossa mentalidade é medieval, as atitudes derivam dos tempos pré-históricos de onde a capacidade leitora e escrita se restringia a desenhos primitivos numa caverna remota. Vivemos uma época em que a literariedade cedeu lugar a literalidade, quando a preguiça de interpretar uma informação mínima é regra nos universos reais e virtuais. O que gerou essa morte lenta e dolorosa? Raiva acumulada que afetou um coração repleto de ódio e anuviou os pensamentos com a incompreensão da inevitabilidade da mudança, de que os padrões irão se transformar, querendo ou não. O mundo é outro mas luta para manter as aparências de uma estranha normalidade anacrônica, ainda não sabe lidar com o que chamamos de modernidade. Adicionamos um prefixo novo, agora vivemos uma contraditória pré-história-moderna, substituímos os tacapes por celulares e logo largaremos os computadores para andarmos sobre quatro patas. Mais uma vez. Estilo condizente ao atual estado mental que se estabelece e acompanha um pensamento que, de tão voltado ao antes, logo se lamentará de uma época em que éramos apenas insignificantes protozoários e não havia PT, comunismo, feminismo ou ditadura gayzista.

Um comentário:

  1. Muito bom. Dá pra fazer pensar no passado, presente e futuro.

    Mas sem querer ser pessimista: eu acho que os humanos nunca foram muito longe. O que chamam de evolução, mais parece um culto à preguiça.
    Toda vez que inventam alguma moda, seja ideológica, seja tecnológica, vem aquela vontade de mandar esse povo deixar de ser besta e caçar serviço.

    ResponderExcluir